terça-feira, 19 de setembro de 2017

LEIA A APRESENTAÇÃO DO LIVRO “TESES TROTSKISTAS ACERCA DA GUERRA IMPERIALISTA CONTRA A LÍBIA” PUBLICADO EM 2011 PELA LBI E AGORA DISPONIBILIZADO PELA EDITORA NOVA ANTÍDOTO



APRESENTAÇÃO

Resolvemos publicar as "Teses trotskistas acerca da guerra imperialista contra a Líbia" quando ainda não se decidiram os rumos finais do conflito travado no norte da África entre o exército nacional líbio e os "rebeldes" a serviço da CIA, apoiados pelas forças piratas da OTAN. Ousamos fazê-lo porque compreendemos o lançamento das próprias Teses como parte do combate teórico e político travado pela LBI, desde o primeiro momento político do conflito, em defesa da vitória militar na nação oprimida atacada pelo imperialismo.

A ofensiva das grandes potências capitalistas se acentua por terra e ar na medida em que o povo líbio e as forças que apóiam o regime nacionalista de Kadaffi impõem derrotas militares aos "insurretos" nas principais cidades líbias. Essa realidade vem pondo a nu, a cada dia que passa, a escandalosa posição dos revisionistas do trotskismo que vendem a investida imperialista como parte da mal chamada "revolução árabe", mas não conseguem explicar porque estes supostos "revolucionários", sem apoio popular, sobrevivem apenas porque recebem suporte econômico e militar da Casa Branca e seus sócios da União Europeia. Em nome do combate a "ditadura sanguinária de Kadaffi" os revisionistas alinham-se integralmente às investidas políticas e militares do imperialismo, travestido de paladino da "democracia".

As Teses sintetizam as bases teóricas e políticas da orientação defendida pela LBI até agora na guerra em curso e apontam que uma vitória militar da Líbia contra a agressão colonialista da OTAN teria um enorme impacto na luta de classes em nível mundial, questionando o domínio imperialista em todo o planeta! Por isso estamos no campo militar da Líbia e pela sua vitória, com total independência política de Kadaffi, lutando por derrotar o inimigo principal dos povos. Este é no momento o principal teste ácido da luta de classes por que atravessamos neste século XXI e prova o quanto as correntes pseudotrotskistas renegam o abc do marxismo, o que revela o enorme retrocesso político e ideológico que se abateu no interior da vanguarda militante desde a queda da URSS e a liquidação contrarrevolucionária do Muro de Berlim. Estamos vendo e vivendo o clímax desse processo de adaptação da "esquerda" à democracia burguesa e por isso o combate da LBI, mesmo assumindo a modéstia de nossas forças, ganha um vulto ainda mais importante.

O livro "Teses trotskistas acerca da guerra imperialista contra a Líbia" está divido em três tópicos. O primeiro "Em defesa da vitória militar da Líbia sobre a OTAN" é composto pelas Teses propriamente ditas e artigos elaborados pela LBI sobre a necessidade da unidade de ação para derrotar as forças imperialistas. O segundo tópico "Demarcando campo com o nacionalismo burguês" está integralmente dedicado a nossa denúncia das concessões feitas por Kadaffi ao imperialismo e ao próprio caráter de classe do regime líbio, incapaz por sua própria natureza de classe de levar uma luta consequente contra o imperialismo. Nesse ponto nos delimitamos dos stalinistas e chavistas que dão apoio político a Kadaffi, sem no entanto nos somarmos à campanha dos piratas capitalistas para imporem um regime servil aos seus interesses políticos e econômicos como faz todo o arco revisionista, inclusive aqueles que formalmente se dizem contra a intervenção da OTAN. Desta forma, demolimos os "argumentos" daqueles que nos acusam de forma infame de "capitular a Kadaffi" simplesmente por reconhecermos as conquistas populares que ainda sobrevivem neste país do Magreb, produto do próprio movimento de corte nacionalista que depôs a arquirreacionária monarquia em 1969, conquistas reais que o imperialismo deseja liquidar com a agressão colonialista em curso. Por fim, no ponto "Polêmica com a esquerda reformista", expomos o combate que a LBI, a primeira organização política a caracterizar os "protestos" em Benghazi como uma ação orquestrada pela CIA, vem travando com as diversas variantes dos revisionistas do trotskismo (LIT, POR, LCI...) até o maoísmo, em um debate que só fortaleceu o que vimos defendendo desde o primeiro momento no conflito, quando nos opomos a esses ventríloquos da grande mídia burguesa que saudaram as "manifestações" na Líbia como uma "revolução" e levantam histericamente o "Abaixo Kadaffi" fazendo coro com a Casa Branca e seus aliados imperialistas europeus.

Temos orgulho de nossa posição principista que honra o legado de Trotsky. Ao publicar as Teses a "pequena" LBI entende que está dando uma importante contribuição para auxiliar a vanguarda militante a ter uma justa compreensão da difícil etapa histórica por que atravessamos e das tarefas que temos pela frente. Ao mesmo tempo, em contraposição a toda propaganda contra o leninismo, levada a cabo não só pela mídia burguesa, mas também desde o interior da própria "esquerda", reafirmamos nas Teses a necessidade da adoção de um programa revolucionário que possa armar a militância comunista teoricamente para erguer um genuíno partido marxista-leninista, reconstruindo a IV Internacional.
Os Editores
Abril 2011

===============
SUMÁRIO
===============
APRESENTAÇÃO

I- EM DEFESA DA VITÓRIA MILITAR DA LÍBIA SOBRE A OTAN
---------------------------------------------------------------------
Teses trotskistas acerca da guerra imperialista contra a Líbia
É possível ser anti-imperialista apoiando os "rebelados" pró-OTAN?
Verdades e mentiras sobre o regime vigente na Líbia
Defesa incondicional da nação líbia diante da ocupação imperialista
Casa Branca e ONU tramam derrubada "revolucionária" de Kadaffi
Mobilizações pró-imperialistas "sacodem" a Líbia

II- DEMARCANDO CAMPO COM O NACIONALISMO BURGUÊS
----------------------------------------------------------------------
É possível derrotar as forças do imperialismo alimentando falsas ilusões no regime de Kadaffi?
Chávez põe as "barbas de molho" diante da ofensiva imperialista mundial
Os métodos torpes com que Kadaffi defende a Líbia da agressão imperialista

III- POLÊMICA COM A ESQUERDA REFORMISTA
--------------------------------------------------------------------
É possível ocorrer uma "revolução" utilizando as armas da OTAN e coordenada por Barak Obama? Os canalhas do PSTU e da LIT dizem que sim!
Os "amigos" de Obama, da contra-revolução no Oriente e da restauração capitalista em Cuba
É possível defender a Líbia dos ataques imperialistas proclamando-se ao mesmo tempo "Contra a intervenção da OTAN" e pelo "Abaixo Kadaffi"?
A Nova Democracia não sabe de que lado ficar em meio à ofensiva imperialista na Líbia
Com a morte de Guillermo Lora, o POR (Brasil) perde de vez o fio e o prumo do programa revolucionário